terça-feira, 21 de março de 2017

Alvo do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) do Ministério Público do Estado da Bahia, Jamil é considerado pelas autoridades como um dos elos da organização criminosa na administração pública.

O nome da operação “Citrus” é uma referência à quantidade enorme de laranjas identificados pela investigação que intermediaram transações financeiras fraudulentas tanto na constituição das empresas como na utilização de dinheiro ilícito

Todos os mandados foram de prisões temporárias, de cinco dias, podem ser prorrogados por mais cinco dias, dependendo da investigação.

Segundo informações do delegado responsável pela 7ª Coorpin, Evy Paternostro, o vereador Jamil Ocke e o ex-secretário Kacio Brandão vão ser levados para o presídio Ariston Cardoso.

Detidos na mesma operação, o empresário Enoch Andrade Silva, proprietário da empresa Andrade Multi Compras, Wellington Andrade Novais e Lucival Bomfim Roque também serão conduzidos ao Ariston Cardoso. Thayane Santos Lopes, única mulher presa, será levada para o presídio de Itabuna.
Agravo

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.