segunda-feira, 14 de março de 2016

A Justiça Federal disponibilizou hoje no seu portal da internet o depoimento na íntegra do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato. No documento, com 109 páginas, o ex-presidente argumenta sobre as acusações feitas contra ele. Em um dos trechos,  Lula disse que as doações para o instituto que leva o seu nome não possuem contrapartidas. Ao ser questionado pelo delegado da Polícia Federal sobre as despesas e saídas de dinheiro Lula disse que não sabia os valores. 
Lula voltou a negar que seja dono do sítio de Atibaia, no interior de São Paulo. "Pertence a Fernando Bittar e pertence a Jonas Suassuna, com registro em cartório em Atibaia, comprado com cheque administrativo, isso já foi publicizado, já foi provado. Eu, na verdade, quero falar pouco do sítio, porque eu não vou falar do que não é meu. Quando vocês entrevistarem os donos do sítio eles falarão pelo sítio", declarou. 
O ex-presidente afirmou ainda que vai 'menos do que gostaria' ao sítio. O delegado questionou quantas vezes e ele disse: "Não sei, eu não sei, às vezes eu vou duas vezes por mês". Sobre o triplex do Guarujá, que está sendo investigado pelo Ministério Público de São Paulo, Lula reafirmou não ser o dono do imóvel. "Eu acho que eu estou participando do caso mais complicado da história jurídica do Brasil, porque tenho um apartamento que não é meu, eu não paguei, estou querendo receber o dinheiro que eu paguei, um procurador disse que é meu, a revista Veja diz que é meu, a Folha diz que é meu, a Polícia Federal inventa a história do triplex que foi uma sacanagem homérica, inventa história de triplex, inventa a história de uma off­shore do Panamá que veio pra cá, que tinha vendido o prédio, toda uma história pra tentar me ligar à Lava Jato, toda uma história pra me ligar à Lava Jato, porque foi essa a história do triplex", argumentou.
correio

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.