quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

esperança de quem está à procura de oportunidades pode estar nas 422 vagas de concursos abertas na Bahia e pelo menos outras 7.500 em todo o Brasil. Há vagas para todos os níveis de escolaridade e os salários chegam a R$ 10 mil.

No estado há quatro certames com inscrições abertas: Ufba, IF Baiano, Agerba e Prefeitura de Pé de Serra (veja quadro ao lado). Outras oportunidades nacionais, como as seleções do Ministério da Saúde e Aeronáutica, chamam atenção pela quantidade de vagas e os altos salários.

Em alguns casos, como o do concurso da Polícia Militar do Distrito Federal, pode valer a pena mudar de estado para ganhar até R$ 10.147,13.

O especialista em concursos e professor de cursinhos Charles Mendes explica que, em um ano de poucas perspectivas para novos certames, quem se dedica a estudar para garantir uma vaga não pode ficar restrito às seleções locais.

“Tenho vários alunos que fazem concursos por todo o Brasil, em muitos casos há a oportunidade de ser transferido no futuro e voltar à terra natal”, conta.

Foi o que aconteceu com a psicóloga baiana Tânia Taguchi, de 36 anos, que fez uma seleção pública para uma instituição federal e foi chamada para trabalhar em Macapá, no estado do Amapá.

“Tomei um susto, porque tinha a expectativa de ser alocada em Salvador e não imaginava ter que ir para tão longe, mas agarrei a oportunidade, não pensei duas vezes”, afirma Tânia, que depois de sete anos morando em outro estado conseguiu a transferência para voltar a morar na Bahia.

Para ela, esse período fora foi como um investimento no futuro. “Sem sombra de dúvida, vale a pena construir sua carreira no lugar que você sempre quis estar, na área que quer atuar e principalmente sendo uma instituição que você se identifica. É um investimento na carreira e na sua formação profissional mesmo”.


Sem previsão
Segundo o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, em 2017 será mantida a suspensão de concursos federais. O órgão destacou que o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa 2017) não prevê recursos destinados à realização de novos concursos nem a novas contratações.

De acordo com o ministério, os pedidos dos órgãos referentes a novos concursos que porventura sejam feitos serão devolvidos. O provimento de cargos de concursos em andamento e autorizados anteriormente, porém, está assegurado, diz o ministério.

Ainda assim, continua sendo um bom investimento futuro garantir a estabilidade e benefícios do serviço público. É o que garante Charles Mendes. “Os governos municipais, estaduais e federal sempre vão abrir vagas porque precisam de servidores para substituir quem se aposenta e até para novos serviços”.

O especialista indica ainda que é preciso continuar estudando para quando surgirem novas oportunidades. “Não adianta se preparar só após o edital”, aconselha.
Correio

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.