segunda-feira, 14 de março de 2016

Um médico plantonista do Hospital Geral Luís Viana Filho, de Ilhéus), foi encaminhado pela Polícia Militar à delegacia da cidade após suspender o atendimento na emergência durante confusão envolvendo o atendimento a uma paciente na emergência da unidade de saúde, no final da noite de sábado (12). De acordo com o delegado Fábio Simões, que registrou o caso, o clínico prestou depoimento e foi liberado. Os atendimentos de emergência foram suspensos na noite de sábado e durante toda a madrugada de domingo (13) após o ocorrido, e só foram retomados durante a manhã. Simões detalha que a confusão começou depois que o médico se mostrou incomodado pelos gritos de uma paciente adolescente, que tem hidrocefalia e paralisia nos membros, e estava acompanhada dos pais do lado de fora do consultório, aguardando atendimento. Conforme o registro policial, a garota gritava e o barulho estaria atrapalhando a atividade do médico, que atendia um casal dentro do consultório. O diretor geral do hospital, Cláudio Moura Costa, também esteve na delegacia para registrar a ocorrência em nome da unidade de saúde. "O que ele [médico] relatou é que parou de atender naquele momento e que voltaria depois que a situação fosse controlada. Ele avisou às pessoas que aguardavam o que estava acontecendo e foi providenciar outras coisas dentro do hospital, que eram pertinentes ao trabalho dele", afirmou o diretor, em entrevista ao G1. A Polícia Militar foi acionada por populares e o médico recebeu voz de prisão dentro da unidade de saúde. Ele foi encaminhado em viatura até a delegacia. Segundo o capitão da PM Nerivaldo Henrique, coordenador de área da 68ª CIPM, houve omissão de socorro. O clínico foi ouvido em termo circunstanciado.
g1


0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.