terça-feira, 2 de junho de 2015

O Conselho Universitário da Universidade Estadual de Santa Cruz aprovou hoje (1º) o uso dos nomes sociais adotados por indivíduos trans. O estudante de história Thasio Sobral, membro do Coletivo LGBT Flores Astrais, acompanhou a assembleia e confirmou a informação a este blog. Nome social é o que o indivíduo trans adota ao se identificar, diferente daquele documentado no registro de nascimento. O Flores Astrais comemorou a aprovação. “Essa é uma pauta histórica do nosso coletivo aqui na universidade, que foi negligenciada por um tempinho, mas sem dúvida, é uma vitória enorme para o nosso movimento”, afirma o estudante de administração Uigue Souza, membro do coletivo. Segundo Uigue, a reitora Adélia Carvalho se posicionou a favor da aprovação e contemporizou a resistência de alguns conselheiros. A mudança foi aprovada de forma unânime. Uigue falou sobre os benefícios práticos do uso do nome social. “Primeiro, com esse passo, a UESC se torna mais ‘aberta’ à diversidade. Segundo, os indivíduos trans podem ter suas identidades reconhecidas, o que diminui a transfobia institucional. Isso é importantíssimo, pois reconhece o indivíduo trans como portador de direitos, melhora sua convivência com outros alunos e interfere até mesmo na sua saúde. Muitos trans deixam de usar o banheiro por causa do constrangimento e isso acarreta uma série de problemas fisiológicos, além dos casos de depressão”. De acordo com o coletivo Flores Astrais, o Diretório Central dos Estudantes exerceu papel importante para viabilizar a votação no Conselho Universitário. Junior Miranda, diretor de diversidade sexual do DCE, apresentou a demanda ao órgão em 2011.
gusmão

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.