segunda-feira, 19 de junho de 2017

Na última terça-feira, 13, o vereador Paulo Carqueija expôs ao Plenário a insatisfação da população dos distritos de Ilhéus em relação à concentração do Recadastramento Biométrico Obrigatório na sede do município.

Segundo o parlamentar, a Justiça Eleitoral detém um orçamento alto, o que, ainda segundo ele, torna mais inaceitável para a população dos distritos que haja apenas dois postos de recadastramento biométrico em todo o município, ambos localizados no Centro de Ilhéus. “A nossa cidade tem toda uma peculiaridade geográfica, temos distritos que são fronteiriços, com difícil acesso até a nossa sede” detalha o vereador e complementa “os moradores dos distritos mais distantes podem chegar a gastar de R$80 a R$100 para se deslocar e fazer esse recadastramento”.

Paulo Carqueija acredita também que o ideal seria a Justiça Eleitoral oferecer o serviço de cadastramento biométrico obrigatório nos distritos de Ilhéus através de unidades móveis. “Locais como Banco Central, Inema, Pimenteira, Banco do Pedro entre outros merecem uma atenção especial, pois são muito distantes do centro. Os cidadãos acabam indo para as cidades vizinhas efetuar o recadastramento, o que enfraquece o sentimento de pertencimento dessas pessoas em relação à cidade e isso é muito grave”, explica o parlamentar e alerta “é bom que se atente para essa questão, pois esse sentimento representa um dos parâmetros em momentos de revisão de limites territoriais”.

Por fim, Carqueija conclui sua fala, pedindo para que os parlamentares da Câmara Municipal de Ilhéus se debrucem sobre a situação dos moradores dos distritos do município, “negar acesso a essas pessoas, é negar cidadania, cria a ideia de que elas representam cidadão de segunda categoria e isso é muito triste, somos todos iguais perante a lei”, afirma Paulo.
Fábio Roberto


0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.