quarta-feira, 29 de março de 2017

Como aconteceu com os outros presos da Operação Citrus a Justiça negou nesta terça-feira (29) o pedido de Habeas Corpus para liberar o vereador Jamil Ocké.

O relator, Des. Abelardo Paulo da Matta Neto disse que apesar das alegações trazidas com petição inicial, sem prejuízo de posterior alcance de posicionamento diverso acerca do mérito, em análise colegiada natural pela Segunda Turma da Primeira Câmara Criminal da Corte de Justiça, revela-se impositiva, até seu advento, a manutenção do decreto prisional, tal como determinado pela Autoridade impetrada. Nestes termos, disse o relator, INDEFIRO A MEDIDA LIMINAR.

O vereador Jamil Ocké foi preso na última terça-feira (21) durante a Operação Citrus realizada pela 8ª promotoria de Justiça de Ilhéus, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco). Para o Ministério Público, Jamil é o braço político da organização que foi montada para fraudar licitaçõs no município. Além dele também foram presos Enoch Andrade Silva, Thayane Santos Lopes, Wellington Andrade Novais, Lucival Bomfim Roque, Kácio Clay Silva Brandão. Sendo que até o momento apenas Lucival Bomfim foi liberado.
O Tabuleiro

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.