domingo, 9 de agosto de 2015

"Fiquei com medo e chorei um pouquinho". Essas são as palavras de Cézar Araújo Rodrigues Filho, garoto de cinco anos que foi esquecido por uma motorista dentro de uma van de transporte escolar no município de Ilhéus, no sul da Bahia. O menino deixou o carro e percorreu pelas ruas cidade por cerca de uma hora, até ser localizado por um taxista. O caso ocorreu na segunda-feira (3), mas só ganhou repercussão quando o pai do menino publicou a indignação nas redes sociais. Professor, Cézar Araújo Rodrigues disse que a motorista da van escolar buscou o filho em casa por volta das 7h. No trajeto, pegou outras crianças e foi deixando em diversas instituições. Entretanto, o menino de cinco anos acabou sendo esquecido no veículo. Ele já usava o transporte há um ano. No dia do susto, o tio dele o colocou dentro van para ir à escola. "A mãe dele não estava se sentindo bem e me pediu para entregar [a criança] quando chegasse o transporte escolar", afirmou Reinaldo Rodrigues. Ao pai, o garoto contou que, após ter deixado os demais colegas nas escolas, a motorista parou na porta de uma casa e sumiu. Sozinho dentro do veículo, o menino detalha que abriu a porta da frente e tocou a campainha da residência. Ninguém atendeu e, sem saber o que fazer, começou a caminhar. "Ele chegou em uma praça e foi encontrado por um taxista, que perguntou o nome e a idade dele. Quando percebeu que ele estava perdido, viu por debaixo do capote o nome da escola onde ele estudava e levou ele até lá", disse o pai. Conforme Cézar Araújo Rodrigues, o filho foi encontrado por volta das 8h, uma hora após ter saído de casa. O trajeto até a escola era de apenas 30 minutos. O pai detalha que estava trabalhando fora da cidade, quando recebeu uma ligação de funcionários da escola relatando o caso. "Na hora, fiquei muito assustado, nervoso e comecei a chorar. Liguei [para motorista do veículo] que disse que não sabia e ainda falou que meu filho nem tinha ido para o colégio", disse Cézar Araújo Rodrigues. "Não quero que aconteça com outro. Imagine, amanhã (domingo, 9) é dia do pais, imagine se meu filho tivesse ficado preso dentro do carro. Imagine como meu filho saiu? Se alguém tivesse carregado ele? Se alguém tivesse feito alguma perversidade? Se ele tivesse atravessado a rua e algum carro atropelado?", diz. A mãe do garoto, Luciana Monteiro, disse que ficou aliviada. "Foi um alívio quando as professoras o trouxeram e vi que ele estava bem. Perguntei como ele estava e ele disse estava bem. Fiquei mais tranquila", diz. A motorista do veículo escolar não quis gravar entrevista. Entretanto, disse por meio de nota que faz o serviço há 15 anos e que sempre prioriza o bem estar das crianças.

TV Santa Cruz/G1


Um comentário:

  1. Deveria ser divulgado o nome da motorista da van para que não possa acontecer com outras crianças.

    ResponderExcluir

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.