terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

IMG_8631

A deputada estadual Ângela Sousa (PSD) participou na manhã deste domingo de uma reunião da Associação dos Pequenos Agricultores de Ilhéus, Una e Buerarema onde voltou a cobrar dos governos Federal e Estadual uma solução pacifica e justa para o problema da demarcação de terras no Sul da Bahia. De acordo com Ângela Sousa, se houver a necessidade de realizar a demarcação, é preciso que se utilizem critérios justos e coerentes, ao contrário do que propõe a Funai, que prevê a destinação de 47 mil hectares de terras produtivas, tirando de pequenos agricultores para entregar a pessoas que se autodeclararam índios.

Ângela Sousa informou que essa solução precisa acontecer o mais rápido possível, já que a região vive em clima de guerra, gerando sérios prejuízos para toda a Bahia. A deputada informou que desde o ano de 2008 vem alertando os governos para esse conflito e como nenhuma ação mais eficaz foi realizada, a situação foi se agravando, com o registro de mortes e com inúmeros casos de pequenos produtores que tiveram suas terras invadidas, foram expulsos de suas propriedades, sendo espancados e humilhados. Ângela Sousa reafirmou que essa situação de conflitos, medo e insegurança não pode continuar, sendo necessária uma intervenção maior do Estado e do Governo Federal para que o problema seja resolvido.

No mês de janeiro desse ano, por solicitação da deputada estadual Ângela Sousa, o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa, recebeu o presidente da Associação dos Pequenos Agricultores de Ilhéus, Una e Buerarema, Abiel Silva, e representantes indígenas para discutir sobre os conflitos da demarcação de terras na região, em especial sobre os crimes registrados nos últimos meses, provocando a insegurança e o medo. Após ouvir os apelos dos dois segmentos, Maurício Teles Barbosa decidiu designar um delegado especial para investigar os crimes derivados dos conflitos pela posse de terra na região.

Ângela Sousa pede que haja celeridade na apuração desses crimes para que o clima de paz volte a reinar na região. Outro assunto debatido na reunião em Salvador foi a ação de bandidos que se apresentam como supostos indígenas. Sobre este assunto, Barbosa solicitou que tanto os indígenas quanto os pequenos agricultores ajudem a polícia na identificação destas pessoas, através dos canais de denúncia. Para essa ação será disponibilizado uma central de atendimento onde a própria comunidade possa denunciar esses supostos bandidos infiltrados na questão da demarcação.


0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.