sexta-feira, 28 de agosto de 2015



Por Correio*
Decreto baixado pelo governador Rui Costa (PT) abriu ainda mais a brecha para o apadrinhamento na hora de contratar servidores por meio de processo seletivo simplificado, usado para preencher cargos de caráter temporário, o popular Reda. A medida, publicada anteontem no Diário Oficial do Estado, estende de 10 para 50 a quantidade máxima de contratações que podem ser efetivadas com base na avaliação de currículos, sem a necessidade de submeter os candidatos a provas específicas, como ocorre em grande parte dos concursos para órgãos públicos. O limite anterior foi estabelecido pelo então governador Jaques Wagner em 30 de dezembro de 2014, através do decreto que regulamentou uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa desde abril de 2011, justamente para disciplinar a administração estadual. O que inclui regras pensadas para restringir indicações políticas nas seleções do Reda.

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.