sexta-feira, 27 de março de 2015

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

Patrocinado pela chamada “bancada da bala”, a Câmara dos Deputados aprovou ontem, por 341 votos a 3, o projeto que torna hediondo e eleva a pena para crimes cometidos contra militares, policiais, agentes carcerários e bombeiros. Também tornam-se hediondos, com pena elevada, crimes cometidos contra parentes dessas autoridades, caso sejam praticados em razão dessa condição.
Pelo texto, que ainda precisa passar por nova votação no Senado, serão considerados hediondos os assassinatos e a lesão corporal dolosa grave (que resulta em incapacidade ou deformidade permanente, enfermidade incurável, perda ou inutilização de membro e aborto) contra esses agentes e parentes.
Hoje, a pena prevista no caso do assassinato de um policial militar, por exemplo, é de 6 a 20 anos de cadeia. Caso o projeto seja aprovado definitivamente e sancionado, a punição sobe para 12 a 30 anos.
No caso de lesão corporal grave contra esses agentes de Estado, a pena será aumentada de um a dois terços. De acordo com o relator da proposta, o deputado João Campos (PSDB-GO), em média,  dois policiais são mortos a cada dia no exercício de sua função.

correio/agencia brasil


0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.