Restauradores descobrem ouro escondido em igreja de Itacaré


Restauradores encontraram ouro 24 quilates durante obra de restauração realizada no altar da Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo, em Itacaré, região sul da Bahia. O templo, que passa por reparos há dois meses, com previsão de custar quase R$ 300 mil, não tem apoio financeiro de órgãos públicos, e é custeado pelo projeto que se chama “A Fé Restaurada”. Os trabalhos são financiados por doações da comunidade e de turistas. Na igreja, fundada no século XVII, e tombada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), os restauradores descobriram que parte da estrutura carrega traços dos jesuítas. Os reparos no altar começaram em janeiro deste ano, quando os especialistas começaram a retirar várias camadas da tinta verde que cobriam o altar central da igreja, e descobriram que os detalhes entalhados são de ouro. Sob a tinta verde, os especialistas também localizaram vários trabalhos artísticos de pintura e encontraram a cor original do altar, em tom amarelo. Em baixo do piso comum colocado no altar, mais uma descoberta: cerâmica da época dos jesuítas, que pode ter mais de 300 anos. “Nossa pretensão é resgatar o máximo possível da originalidade, que foi descaracterizada ao longo do tempo por falta de conhecimento, por falta de materiais”, conta Bruno Visco, restaurador do Ipac. 
G1
COMPARTILHAR:
← Anterior Proxima  → Página inicial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Contra-Cheque

Contra-Cheque
Prefeitura de Ilhéus

Segurança Publica

TJ-BA

Correios

COELBA

EMBASA