terça-feira, 29 de março de 2016

O pedreiro Edigron Nunes de Araújo, 35 anos, foi preso na noite de sábado (26) acusado estuprar uma menina de 13 anos e da própria esposa no município de Luís Eduardo Magalhães. De acordo com a Polícia Civil, Edigron era casado com a tia da vítima e havia filmado alguns dos estupros. 
Segundo o delegado Leonardo de Almeida Mendes, titular da delegacia de Luís Eduardo Magalhães, os estupros começaram há cerca de dois anos, quando a vítima tinha ainda 11 anos. "A vítima não é daqui, ela é natural da região de Irecê. Ela sempre quando vinha para Luís Eduardo ficava na casa de parentes e da tia também. Ele aproveitava esses momentos, quando não tinha ninguém em casa, e estuprava a menina", conta o delegado.  
Edigron iniciou os estupros há cerca de dois anos, quando a vítima tinha ainda 11 anos
(Foto: Ivan Gehlen/Blog do Braga)
Conhecido como Digimon, Edigron foi preso cerca de 40 minutos após ser denunciado por um familiar da vítima, que tomaram conhecimento do caso após a irmã da menina ver os prints das fotos e dos vídeos que o suspeito fazia dos estupros. 
De acordo com informações do delegado, quando os policiais chegaram a residência do suspeito, ele já havia apagado as imagens de seu celular. "Mas nós conseguimos recuperar esses arquivos e encontramos fotos da menor em posição erótica e fotos e vídeos dele mantendo relações sexuais com ela", informou o titular da delegacia de Luís Eduardo Magalhães.
Segundo o delegado, o suspeito não chegou a compartilhar o vídeo, mas mostrava as imagens para os amigos de trabalho. Edgron foi preso e está detido na delegacia de Luís Eduardo Magalhães, de onde deve ser transferido para a 11ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Barreiras) devido ao risco dele ser agredido. "Acontece quando são crimes de estupros porque causa uma grande comoção", explicou o delegado.
Já a vítima, foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Barreiras, onde deverá passar por um exame de corpo de delito para confirmar os casos de estupro. Segundo a polícia, apesar das imagens, o pedreiro nega ter cometido o crime.
Outros casos
A família da vítima e parentes de Edigron já foram ouvidos na delegacia de Luís Eduardo Magalhães. Segundo o delegado, a vítima também já prestou depoimento no local. O delegado Leonardo de Almeida esclarece também que a tia da menina não sabia dos estupros.
"Ela, inclusive, relata que o suspeito estuprava ela, mesmo ela sendo companheira dele. Ele obrigava ela a fazer sexo, obrigava ela a fazer posição que ela não aceitava e tipo de sexo que ela não queria. E, às vezes, ele amarrava ela para que ela tivesse relação sexual com ele", informa o delegado. 
Conforme o delegado, Edigron já tinha três passagens pela polícia por violência doméstica, mas foi liberado após pagar fiança. Ele deverá responder pelos crimes de estupro de vulnerável, ameaça de morte e lesão corporal.
correio 

0 comentários:

Postar um comentário

O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.